Estudo aponta que Brasil é o quarto país que mais busca NFL no Google

Nos últimos 12 meses, o Brasil é o quarto país que mais buscou conteúdos da NFL no mundo, atrás apenas de Estados Unidos, México e Canadá, e empatado com o Reino Unido. Esse é um dos dados do estudo “A NFL conquista o Brasil”, produzido pela Bites. No mesmo período, o tráfego de brasileiros no site oficial da NFL foi o oitavo maior, atrás de Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Alemanha, México, Austrália e Dinamarca.

Celebridades como a cantora Anitta e o streamer Casimiro, que se tornou o apresentador com mais seguidores do mundo na Twitch, ajudaram a repercutir a NFL nas redes sociais na última temporada e foram dois dos principais influenciadores em relação ao Super Bowl LVI no Brasil.

Nos últimos 12 meses, os fãs brasileiros da NFL publicaram 218 mil posts no Facebook, Twitter e Instagram sobre os quarterbacks da liga que atuaram na temporada passada. Somadas, as redes sociais da NFL no Brasil têm 724 mil seguidores.

No Brasil, a principal referência da posição, Tom Brady, casado com a brasileira Gisele Bündchen, já desperta mais interesse dos brasileiros em pesquisas no Google do que a sua mulher, aposentada das passarelas. Brady aparece em mais de 30% das publicações nas redes sociais e é o atleta que mais gerou interesse do público nos últimos cinco anos. Com a aposentadoria iminente, os dados revelam que o potencial substituto do marido de Gisele como futuro principal nome da liga para os brasileiros é Patrick Mahomes, do Kansas City Chiefs.

“O envolvimento com a NFL entre os brasileiros é mais um estilo de vida do que um apego à prática esportiva. Ao contrário do futebol nacional, que pode ser jogado em qualquer lugar, a qualquer hora e mesmo por duas pessoas, o futebol americano exige maior logística”, afirmou o estudo da Bites.

“Os fãs da NFL no país estão nas classes A e B, com acesso aos serviços de TV por assinatura e sites especializados no tema”, acrescentou a pesquisa.

Além do óbvio potencial de crescimento do esporte, o que representa uma oportunidade de negócios, é importante destacar que 24,4% dos tuítes publicados no Brasil nos últimos 12 meses sobre a NFL partiram de perfis de mulheres.

Transmissão da NFL

A NFL é transmitida na TV brasileira desde o fim dos anos 1980. Desde meados dos anos 2000, é um dos principais produtos da ESPN.

“A diversificação dos canais de transmissão dos jogos, com destaque para o YouTube e a Twitch, além da TV aberta, como já acontece com a NBA, ajudaria a popularizar a liga no país, aumentando também o engajamento de internautas e influenciadores digitais nas redes  sociais”, observou a Bites.

Para o estudo, “outras medidas, como a criação e gestão de perfis oficiais, em português, das franquias da liga nas redes sociais, parcerias diretas com influenciadores digitais brasileiros especializados e não especializados, o aumento da oferta de produtos oficiais da NFL no país e a entrada de novos atletas brasileiros na liga também teriam potencial para popularizar o interesse pelo esporte no Brasil”.

Ao longo da temporada 2021/2022, 75,6% dos internautas que fizeram posts no Twitter sobre o esporte eram homens. No período, 83,4% das postagens sobre futebol americano mencionaram diretamente a marca NFL ou alguma das 32 franquias da liga.