Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Outros / Na Mídia

Nike domina e é marca que mais apareceu durante o Super Bowl LVI

Levantamento feito por empresa americana mostrou que fabricante compatriota dominou exposição de TV durante o jogo

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 15/02/2022, às 07h20 - Atualizado às 07h24

Jogadores do Los Angeles Rams comemoram a vitória sobre o Cincinnati Bengals no Super Bowl LVI - Getty Images
Jogadores do Los Angeles Rams comemoram a vitória sobre o Cincinnati Bengals no Super Bowl LVI - Getty Images

Evento mais badalado do esporte americano, o Super Bowl é conhecido pela grande exposição de diferentes marcas ao longo de toda a partida, especialmente nos intervalos comerciais dos jogos. No último domingo (13), o Los Angeles Rams venceu seu segundo Super Bowl na história, derrotando o Cincinnati Bengals. E, durante o período de ação da partida, quem dominou o mercado foi a Nike.

Foi isso o que apontou um levantamento feito pela empresa de software Hive em parceria com a agência Elevate e que foi divulgado pelo site CNBC. Além da marca esportiva, Pepsi, Gatorade e Bose foram outras empresas que conseguiram furar um pouco a bolha e ter exposição de marca ao longo da partida.

De acordo com o levantamento, as marcas patrocinadoras tiveram um total de US$ 170 milhões em exposição de mídia durante o jogo. O valor foi praticamente o mesmo do Super Bowl de 2021 (US$ 169 milhões) e acima do de 2020 (US$ 143 milhões).

De acordo com a Hive, as marcas tiveram mais de 75 minutos de tempo de exposição na tela durante o Super Bowl LVI. Foi menos do que em 2021, quando as empresas conseguiram aparecer por 104 minutos durante a decisão.

O relatório de 2022 da Hive, segundo a CNBC, combinou exposições visuais e verbais ao longo do Super Bowl. A Nike, fornecedora de material esportivo da NFL, marcou 46 minutos de tempo na tela, enquanto a Bose, um dos principais patrocinadores da liga, teve seu logotipo estampado por 8 minutos. O nome da empresa aparece no microfone dos treinadores.

A Pepsi foi outra que teve boa exposição de marca. Durante o “Show do Intervalo“, em que teve as estrelas icônicas do hip-hop Dr. Dre e Snoop Dogg, a marca da patrocinadora do evento apareceu com frequência. Já a do isotônico Gatorade, que também é do grupo Pepsico, teve exposição por conta do banco de reservas. Ambas estiveram na tela por cerca de 9 minutos, além de a Pepsi ter sido mencionada por 11 vezes durante a transmissão da NBC.

Outras três marcas que conseguiram exposição foram Toyota, Verizon e New Era, cada uma com um minuto de exposição ao longo do jogo. Já a SoFi, que detém os naming rights do estádio que abrigou a final, também teve aproximadamente um minuto de exposição no jogo.

Ao longo do Super Bowl, o software usado pela Hive detectou logotipos de empresas em camisetas, garrafas, refrigeradores, toalhas, tablets, carrinhos, fones de ouvido e sinalização no estádio. Segundo a Hive, cada 150 segundos de exposição média no jogo são equivalentes ao valor de um comercial de 30 segundos.

A NBC cobrou cerca de US$ 6,5 milhões por comerciais do Super Bowl LVI, e algumas marcas pagaram um recorde de US$ 7 milhões por um anúncio de 30 segundos. A receita do jogo deve superar o total de US$ 545 milhões que a ViacomCBS gerou no ano passado.