Puma lança uniforme da seleção brasileira de atletismo e terá linha de vestuário com a CBAt

Empresa alemã fechou acordo com uma confederação esportiva brasileira pela primeira vez na história

A Puma oficializou, na última sexta-feira (8), o contrato de patrocínio assinado com a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt). A Máquina do Esporte já havia informado sobre o acordo, que foi fechado em abril, mas só entrou em vigor neste mês de julho. Esta é a primeira vez em 74 anos de história da Puma que a marca alemã terá seu logotipo estampado no uniforme de uma seleção brasileira.

O evento foi realizado no Centro Nacional Loterias Caixa de Desenvolvimento de Atletismo, em Bragança Paulista (SP), local em que os principais velocistas e barreiristas da seleção brasileira estavam realizando um camping para finalizar a preparação para o Campeonato Mundial de Atletismo, que terá início na próxima sexta-feira (15), em Eugene, no estado americano do Oregon. Os atletas viajaram para os EUA no sábado (9).

Patrocínio da marca alemã já está presente no Centro Nacional de Desenvolvimento de Atletismo - Divulgação / Puma

A Máquina do Esporte esteve presente no evento e conversou com Rubia Dalla Pria, gerente de comunicação de marca da Puma Brasil. No bate-papo, a executiva confirmou que o running continuará sendo um dos dois principais focos da marca no país, ao lado da mulher no esporte. Em 2023, o maior investimento da Puma em marketing será no running.

Vale lembrar que a Puma voltou os olhos com mais atenção para a corrida no ano passado, quando decidiu investir em performance e lançou a família Nitro, com quatro modelos de tênis munidos da tecnologia exclusiva Nitro para a prática da modalidade. Há menos de um mês, a marca lançou a segunda edição desses modelos e aproveitou o evento em Bragança Paulista para ativá-los junto aos convidados.

Segunda edição dos modelos da família Nitro chegaram ao mercado na segunda quinzena de junho - Divulgação / Puma

“Nós precisávamos legitimar o DNA esportivo da marca. Somos uma marca esportiva, não de moda. Ou seja, tínhamos que nos aproximar da alta performance, com produtos que dessem essa possibilidade aos corredores brasileiros, que estão inseridos em um dos principais mercados da marca que é o Brasil”, explicou Rubia.

Com a marca já consolidada no mercado de corrida nacional, surgiu a possibilidade de patrocinar a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), que estava sem uma marca esportiva desde a saída da Nike, ocorrida após a disputa dos Jogos Olímpicos de Tóquio, em agosto de 2021.

O acordo foi fechado com a Puma Global, mas haverá uma gestão compartilhada com a Puma Brasil, que receberá diretrizes e as “traduzirá” para o mercado brasileiro. Além disso, a Puma Brasil ainda espera ajudar a matriz na questão da melhoria dos relacionamentos por aqui e também já negocia contratos de patrocínio individuais com os atletas da seleção.

“Foi realmente uma oportunidade que nós enxergamos, pois tinha tudo a ver com o momento de crescimento e de investimento no esporte que a marca atravessa no Brasil”, disse Rubia.

O contrato foi assinado por dois anos e meio, ou seja, até o fim de 2024, período que engloba a disputa dos Jogos Olímpicos de Paris. Até lá, a Puma promete uma série de novidades, entre elas a venda de produtos oficiais da CBAt em lojas da marca. Haverá uma linha completa de vestuário à disposição dos consumidores nos próximos meses, o que inclui o uniforme que foi apresentado pelos velocistas Rodrigo Nascimento e Vitória Rosa na pista do Centro de Desenvolvimento e que já será usado pelos dois e pelo restante da delegação brasileira no Mundial.

Seleção brasileira estreará novo uniforme no Mundial de Atletismo de Eugene, no Oregon (EUA) - Divulgação / Puma

“A Puma agrega muito valor. Fechar um acordo desse com uma marca como a Puma mostra algo grande, mostra valores e performance, o que atrai a atenção do mercado. Isso sem contar com o design ousado e com toda a tecnologia inserida nos uniformes”, celebrou Wlamir Motta Campos, presidente da CBAt.

O running, no entanto, não será o único foco de atenção da marca no médio prazo. Além da mulher no esporte, em especial a linha de women’s training, que conta com as embaixadoras Isis Valverde e Larissa Manoela, a Puma ainda terá um investimento pesado neste segundo semestre no futebol, de olho, é claro, na Copa do Mundo, afinal, o principal ativo da seleção de Tite, o atacante Neymar, é atleta da Puma.

“Em 2022, uma boa parte do nosso orçamento foi pensado para a Copa. Teremos bastante coisa direcionada ao Neymar, claro, mas também a diversos outros jogadores que devem ir ao Mundial e que são atletas Puma. Posso adiantar, inclusive, que haverá o lançamento de uma chuteira para a Copa que será a que o Neymar vestirá no Catar”, finalizou Rubia Dalla Pria.