Rio Open lança site para público neutralizar emissão de carbono

O Rio Open deu um novo passo para se tornar um dos eventos mais sustentáveis do esporte mundial. A organização do torneio decidiu trazer, para 2022, uma iniciativa que outras competições já fazem, mas que no Brasil será gratuita para o consumidor.

Os torcedores que comprarem o ingresso para participar do torneio, que acontece entre os próximos dias 12 e 20 de fevereiro, terão a oportunidade de preencher um cadastro para neutralizar a emissão de carbono com seu deslocamento até o evento.

O site Neutraliza Rio Open foi criado para que o torcedor preencha o código de seu ingresso e preencha os dados sobre local de origem e meio de transporte que será usado para o evento. Automaticamente, uma calculadora diz o quanto é preciso compensar de emissão de carbono, o que será feito pela organização do torneio de tênis.

“A gente não quer ser só um evento de entretenimento. A gente quer mais, quer ser um evento com atitudes sustentáveis, que respeita as empresas, as pessoas. A gente quer deixar um legado, quer que as pessoas tenham práticas sustentáveis no dia a dia. É um movimento que a gente está criando ao longo dos anos e que neste ano a gente dá um passo maior”, afirmou Marcia Casz, diretora do Rio Open.

Segundo a executiva, o torneio de Roland-Garros, por exemplo, já tem um projeto similar. Nele, porém, o próprio torcedor é responsável por neutralizar sua “pegada” de carbono. No Rio, até por uma questão cultural, os organizadores assumiram a responsabilidade.

“É uma ação que a pessoa participa de forma voluntária e gratuita. Você coloca de onde vem e aí neutraliza no final do evento. Nós pretendemos continuar com o propósito de fazer um evento que cada vez mais preserva o meio ambiente. E este ano achamos um meio de incentivar as pessoas também para terem essa prática”, disse Marcia.

Para ela, essa nova atitude do Rio Open aproxima ainda mais o evento das melhores práticas do mercado corporativo. E acaba sendo uma evolução até certo ponto “natural” do Rio Open em relação ao debate sobre ser um evento preocupado com a sustentabilidade.

“Acredito que nos próximos dois anos as grandes empresas de alguma maneira vão incentivar esse tipo de movimento. Estamos saindo na frente em relação a isso. É um movimento para as pessoas descarbonizarem seu deslocamento, ajudando a preservar o meio ambiente. Os patrocinadores estão cada vez mais conscientes e exigentes. Essas iniciativas que fazemos de transformar o evento em carbono neutro está muito mais consciente. Lá atrás, não se falava nem em sustentabilidade. Agora é diferente, tomou uma outra proporção. Hoje não dá mais para fazer um grande evento sem a gente se preocupar com isso”, finalizou a executiva.