Shimano Fest voltará a ser presencial e unirá ciclismo e sustentabilidade em 2022

Após dois anos sem ser realizada de forma presencial por conta da pandemia de Covid-19, o Shimano Fest, considerado um dos maiores eventos do universo do ciclismo do Brasil e da América Latina, já tem data para acontecer em 2022. Entre os dias 18 e 21 de agosto, no Memorial da América Latina, em São Paulo, os amantes das bicicletas poderão se encontrar fisicamente mais uma vez com direito a arena kids, shows, espaço radical, espaço de pesca, auditório, competição de Short Track, além da Expo, com as principais empresas e marcas do mercado, contando novidades e os principais lançamentos para o restante do ano.

Em 2022, o evento será totalmente voltado para o meio ambiente e a sustentabilidade. Com o tema “Uma Só Terra”, o Shimano Fest quer chamar a atenção da indústria, do mercado e dos ciclistas para a responsabilidade de cada um na preservação ambiental, o que envolve redução e reutilização de resíduos, melhor utilização da energia e também dos recursos naturais. Em resumo, exercitar e colocar em prática uma consciência sustentável dentro de um universo que não para de crescer no país.

“O Shimano Fest 2022 quer chamar a atenção e envolver o nosso segmento em iniciativas voltadas à preservação do planeta, pois a bicicleta é um veículo sustentável e uma bandeira pelo meio ambiente. Essa será nossa grande colaboração para um futuro melhor dentro deste festival que cresce a cada ano. Convidamos a todos a pedalar com a gente pelo nosso futuro, um futuro mais próximo da natureza e mais perto das pessoas”, explicou Rogério Tancredi, gerente comercial e de marketing da Shimano na América Latina.

Entre as ações voltadas à preservação da natureza, a marca convidou Mariana Mennato, fundadora do projeto “Seu Lixo Meu”, para ministrar palestras sobre o tema, além de realizar consultoria para empresas do setor sobre conscientização ambiental.

O evento ainda quer aproveitar para “abraçar” a nova comunidade de ciclistas que surgiu durante a pandemia. Para se ter uma ideia, antes da Covid-19, cerca de 70 mil pessoas usavam a Ciclovia da Marginal Pinheiros, em São Paulo, por mês. Atualmente, o volume está muito maior, com 160 mil mensalmente e frequência diária superior a 5 mil pessoas.

“Tivemos um grande número de novos ‘entrantes’ nesses dois anos de pandemia, e eles ajudaram a aquecer o mercado. Muitos deles se tornaram ciclistas ávidos e empenhados em usar a bicicleta rotineiramente para seus deslocamentos na cidade. Tendo isso em mente, além da preservação do meio ambiente, vamos focar nosso Festival de 2022 em ajudar estes novos ciclistas a conhecer ainda mais sobre o universo da bike”, resumiu Rogério Tancredi.