Show dos brasileiros no Oi Rio Pro alavanca redes sociais da WSL no Brasil

País dominou 100% das semifinais e da final, em que Filipe Toledo derrotou Samuel Pupo

O Oi Rio Pro apresentado por Corona, etapa brasileira da World Surf League (WSL), foi encerrado na última terça-feira (28), com o tetracampeonato conquistado por Filipe Toledo. Durante quase dez dias, a Praia de Itaúna, em Saquarema (RJ), foi a casa dos melhores surfistas do mundo e, com um show dos brasileiros dentro da água, ajudou a alavancar ainda mais a visibilidade da modalidade no país.

Uma forma de mensurar esse crescimento está nas redes sociais. Responsável pela gestão das contas desde agosto de 2021, a agência Effect Sport divulgou alguns números que estão relacionados ao sucesso da chamada “Brazilian Storm” nas águas fluminenses. O Brasil colocou seis surfistas entre os oito melhores e dominou 100% das semifinais e da final, em que Filipe Toledo derrotou Samuel Pupo.

Ao longo do evento, foram mais de 600 publicações feitas nas cinco plataformas de atuação da WSL no país. No Instagram, por exemplo, houve um ganho de mais de 13 mil seguidores. Com isso, o perfil ultrapassou os 432 mil seguidores.

No TikTok, o perfil superou 23 milhões de visualizações em seus vídeos, enquanto o canal oficial no YouTube cresceu 101%, com mais de 13 mil novos inscritos. O Twitter, por sua vez, registrou 91% de aumento, com 20 mil seguidores a mais no período.

Com isso, o TikTok alcançou a marca de 325 mil seguidores e 2,9 milhões de curtidas. O Twitter bateu 43 mil seguidores, enquanto o YouTube chegou a 27 mil inscritos.  

“O Oi Rio Pro marcou, de forma emblemática, o ápice deste quase um ano de trabalho da Effect Sport com a WSL Brasil, entregando os melhores resultados que já tivemos na conta, superando as finais de 2021, inclusive. Os números são muito fortes, especialmente levando em conta que são 100% orgânicos, sem nenhum investimento em mídia paga”, destacou Marcelo Paiva, head de digital e conteúdo da Effect Sport.

“Além do quantitativo, é muito satisfatório ver essa recepção tão positiva de toda a comunidade do surfe e constatar que cada vez mais estamos conseguindo transformar a WSL Brasil no hub oficial de conteúdo da modalidade no Brasil, o que desde o pitch inicial era nossa proposta para a liga”, acrescentou o executivo.