Investidora oferece US$ 1,25 bilhão por 20% dos direitos internacionais da liga mexicana

A empresa de capital de risco Apollo Global Management pretende oferecer à Liga MX um investimento de cerca de US$ 1,25 bilhão em troca de parte da receita de mídia internacional da liga mexicana de futebol. A informação é do site Sportico.

Com sede em Nova York (EUA), a Apollo quer ficar com 20% do faturamento da venda dos direitos de mídia para veículos de fora do México nos próximos 50 anos. Como parte do acordo, a empresa investidora também ficaria com 20% da nova empresa que fará a gestão da liga mexicana.

A Liga MX é o torneio de futebol mais assistido dos Estados Unidos. Por conta disso, a Apollo acredita que a competição tem um enorme potencial de crescimento internacional. Os jogos da Liga MX na Univision atraíram 920.640 telespectadores nos EUA nesta temporada, Esse montante é mais do que atraíram as partidas da Premier League na NBC (788.620) e os jogos da Major League Soccer (MLS), em inglês, na Fox (436.750).

A proposta do “Projeto Gol” da Apollo depende de os clubes mexicanos concordarem em vender seus direitos de transmissão como um todo. Ao contrário da maioria das ligas dos EUA e da Europa, a Liga MX permite atualmente que os clubes assinem contratos individuais. Essa estratégia gerou contratos lucrativos para os principais times do país, como Chivas, de Guadalajara, e América, da Cidade do México. Os EUA, que contam com mais de 36 milhões de pessoas de ascendência mexicana, são o principal mercado internacional para esses times.

O plano da Apollo é ainda mais complicado devido às várias redes que mostram os jogos da Liga MX. Nos EUA, por exemplo, a competição é exibida por empresas como Fox, Univision, Telemundo e ESPN.

O montante de US$ 1,25 bilhão seria destinado aos clubes para que invistam em melhorias em centros de treinamentos, reformas de estádios e outras despesas.

Atualmente, a Apollo possui US$ 498 bilhões em ativos sob sua gestão. Seu trabalho esportivo inclui financiamento para alguns dos maiores clubes do futebol europeu, bem como grandes ligas dos EUA, como NBA, NFL e NHL.

A proposta da Apollo segue uma tendência já observada na Europa recentemente, com a formação de uma joint venture para gerir o campeonato. Algumas ligas de futebol já seguiram esse caminho recentemente, como a LaLiga, da Espanha, e a Ligue 1, da França. A Apollo chegou a fazer proposta pela liga francesa, mas perdeu a concorrência para a CVC Capital Partners.

Além do futebol, a liga de rúgbi da Nova Zelândia (NZR) confirmou, em fevereiro, o investimento da Silver Lake, que fará com que a companhia injete US$ 127 milhões na nova empresa criada para gerir o campeonato.

Seguindo uma estratégia incomum em campeonatos nacionais de futebol, a Liga MX decidiu, em 2020, descartar a promoção e o rebaixamento dos clubes por cinco anos. A MLS também segue uma regra semelhante. Isso gerou especulações de que haveria uma fusão entre a Liga MX e a MLS, o que até agora não aconteceu.