Setor de construção é principal patrocinador das cinco grandes ligas nacionais europeias

Segundo relatório, criptomoedas avançaram, enquanto sites de apostas recuaram em parcerias comerciais

O setor de construção segue sendo o principal patrocinador das cinco principais ligas nacionais europeias. Segundo um relatório da SponsorUnited, empresas desse segmento fizeram 1.402 acordos comerciais nas cinco maiores competições nacionais do Velho Continente (Inglaterra, Espanha, Alemanha, Itália e França).

A pesquisa também mostrou que mais de 7 mil marcas atuaram em cerca de 9 mil contratos de parcerias comerciais na temporada 2021/2022. É a terceira temporada seguida que o segmento de construção domina esse ranking.

Atrás desse tipo de negócio vieram, respectivamente, serviços financeiros (761 acordos), setor automobilístico (639), criptomoedas (522), material esportivo (467), tecnologia (436), comida (409), bebidas não alcoólicas (356), varejo (344) e mídia (302).

Entre empresas de material esportivo, as cinco marcas com mais contratos foram Adidas, Nike, Puma, Macron e Kappa.

Apostas em queda; criptomoedas em alta

As parcerias com plataformas de apostas, um dos principais financiadores dos times que disputam o Brasileirão, caíram 10% na Europa. Já as empresas de criptomoedas aumentaram sua participação em 140%. O setor é um dos que mais têm previsão de aumentar investimento em esporte.

Segundo o documento, a LaLiga foi a competição que mais perdeu parcerias comerciais com sites de apostas, com queda de 60%. A razão disso é a lei espanhola, que proibirá a exposição de marcas de sites de apostas nas camisas dos times a partir da próxima temporada.

A Serie A, da Itália, por outro lado, viu o maior aumento entre as empresas de blockchain, que aumentaram o investimento no futebol local em 450%.

Um dado curioso levantado pelo relatório é que a mudança de clube favorece os jogadores a ganhar mais seguidores nas redes sociais. Foi o que aconteceu com Jack Grealish, contratação mais cara da janela de verão europeia de 2021. O meia-atacante deixou o Aston Villa para jogar no Manchester City. Com isso, viu crescer em 200% o número de fãs em suas plataformas sociais.