Suzuki faz acordo e deixará MotoGP pela segunda vez no final de 2022

Marca japonesa havia retornado à categoria em 2015 e tinha contrato até 2026

A Suzuki disputará a MotoGP apenas até o final da temporada 2022. A marca japonesa chegou a um acordo com a Dorna Sports, detentora dos direitos comerciais da principal categoria do motociclismo mundial, e deixará a disputa apenas sete anos após ter retornado.

Em maio, quando surgiram as primeiras especulações de que a Suzuki estava pensando em romper o contrato que estava assinado até 2026, a Dorna Sports veio a público para dizer que não era possível que a marca tomasse essa decisão de forma unilateral. Desde então, os dois lados sentaram para conversar e acabaram chegando a um acordo.

“A Suzuki decidiu encerrar a participação na MotoGP e também no EWC [Endurance World Championship] diante da necessidade de realocar recursos em outras iniciativas de sustentabilidade”, explicou Toshihiro Suzuki, presidente da empresa japonesa.

“Esta decisão significa que assumiremos o desafio de construir uma nova operação de negócios de motocicletas, redirecionando as capacidades tecnológicas e os recursos humanos que cultivamos por meio das atividades de motociclismo para investigar outras rotas para uma sociedade sustentável”, acrescentou o mandatário.

Esta é a segunda vez que a Suzuki decide deixar a MotoGP, tendo-se retirado da categoria em 2011 para voltar apenas em 2015. Nesta última passagem, o principal destaque da marca japonesa na pista foi o título conquistado em 2020, com o espanhol Joan Mir.