Del Nero age para salvar Guarani e Portuguesa

Presidente da FPF intermediou negociações entre dupla e Globo

Presidente da FPF intermediou negociações entre dupla e Globo

O fim da confusão que envolveu os direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro está muito próximo. A Rede Globo acertou com 18 dos clubes que integravam o Clube dos 13, que já admitiu publicamente que desistiu de enfrentar a emissora carioca, e Guarani e Portuguesa, últimos a negociar, estão praticamente acertados.

A dupla, na verdade, contou com o intermédio de Marco Polo Del Nero, presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF). O dirigente usou a própria influência política para aproximar a Globo dos paulistas. Ambos disputam a Série B e foram deixados por último nas negociações diretas entre canal e principais clubes do país.

A razão da intervenção do cartola está na fragilidade financeira de Guarani e Portuguesa. No ano passado, por exemplo, o primeiro registrou déficit de R$ 6,6 milhões, enquanto o segundo teve prejuízo um pouco maior, de R$ 6,9 milhões. Caso a venda os direitos de imagem não acontecesse, ambos sofreriam colapso financeiro.

Os valores não foram divulgados, mas, segundo apurou a Máquina do Esporte, será criado um quarto "grupo" para encaixar a dupla. O modelo adotado pela Globo dividiu os clubes em três grupos. As quantias pagas aos membros de cada um deles cai 18% do primeiro para o segundo, e outros 31% do segundo para o terceiro.

Curiosamente, a atuação de Del Nero para garantir os acordos com Guarani e Portuguesa representa o segundo intermédio de terceiros para salvar defensores do Clube dos 13. O São Paulo, que assinou contrato com a Globo nesta semana, dependeu dos esforços do empresário Roberto Justus para que a venda fosse finalizada.

Vale lembrar que, no início do imbróglio, iniciado com a recusa do Corinthians em se submeter à comercialização efetuada pelo Clube dos 13, São Paulo, Atlético-PR e Atlético-MG se posicionaram a favor da entidade. Guarani e Portuguesa, com pouca força política, preferiram aguardar o desfecho para não se comprometer.

Assim que os acordos entre Globo e a dupla paulista forem formalizados, a emissora terá conseguido atrair todos os 20 integrantes do grupo. Fábio Koff, presidente da instituição, aguarda apenas que ele e Fernando Carvalho, ligado ao Internacional, deixem de ser avalistas pessoais das contas da entidade para dissolvê-la.