Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Motor / Motociclismo

Honda Racing Brasil apresenta estratégia comercial no esporte para 2022

Marca manterá patrocínio às principais competições e provas do motociclismo nacional

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 10/03/2022, às 11h10

Argentino Martin Duplessis, campeão sul-americano de rally, fará parte da equipe Honda Racing em 2022 - Ricardo Leizer / Mundo Press
Argentino Martin Duplessis, campeão sul-americano de rally, fará parte da equipe Honda Racing em 2022 - Ricardo Leizer / Mundo Press

A Honda Racing Brasil apresentou, nesta quinta-feira (10), as equipes, estratégias e patrocínios para 2022. Uma das principais incentivadoras do motociclismo nacional há mais de 40 anos, a marca terá novidades em todas as modalidades: motocross, enduro, rally e motovelocidade. Os projetos internacionais e relacionados à formação de base do esporte também têm destaque no planejamento.

“As competições estão no DNA da Honda e a cada temporada o nível está mais alto em todas as modalidades no Brasil. Por isso, todo investimento e trabalho visam ao desenvolvimento do esporte, pilotos e também dos nossos produtos”, explicou Marcos Monteiro, gerente geral comercial da Moto Honda.

Com o objetivo de representar o Brasil internacionalmente e compartilhar diferentes experiências, os projetos fora do país continuam com Eric Granado e Bruno Crivilin. Granado segue em mais uma temporada no Campeonato Espanhol de Superbike, na principal categoria, a Superbike, com a equipe Honda Laglisse e a moto CBR 1000RR-R Fireblade SP. Já Crivilin passa a se dedicar integralmente às provas do Mundial de Enduro e agora também do Italiano de Enduro, um dos campeonatos nacionais mais fortes da modalidade. Ele segue com a equipe S2 Motorsport, na classe E1 e com a CRF 250RX.

No motocross, uma das principais mudanças é a configuração da equipe, que passa a ter dois times oficiais: um dedicado à categoria MX1 e outro à MX2. Com a CRF 450R, o venezuelano Anthony Rodriguez retorna à Honda Racing Brasil ao lado dos companheiros Jetro Salazar e Hector Assunção, que juntos somam mais de dez títulos nacionais. O comando da equipe de MX1 será de Cale Neto. Pela MX2, Frank Galvão, que durante três anos foi responsável pela equipe satélite Honda, passará a atuar como chefe do time que terá os pilotos Fred Spagnol, Gabriel Andrigo e Henrique Henicka.

Outra novidade da Honda no motocross é a chegada de Maiara Basso. Dona de diversos títulos nacionais e atual campeã brasileira na classe MXF, exclusiva para mulheres, a gaúcha terá à disposição também a CRF 250R.

Em relação ao time de enduro, Rômulo Bottrel (E2), com a CRF 450RX, e Alexandre Valadares “Brankim” (E4), com a CRF 250F na categoria exclusiva para motos nacionais, se juntam a Vinicius Calafati (E1) com a CRF 250RX, e Bárbara Neves (EF), que também acelerará a CRF 250F. No comando da equipe, Felipe Zanol passa a ser o chefe técnico, e Reinaldo Almeida, que liderou uma equipe satélite Honda no enduro em 2020, atuará como chefe de operações.

No rally, o argentino Martin Duplessis, campeão sul-americano da modalidade e com participações no Dakar, reforça o time na Moto 1, que também tem o experiente Jean Azevedo. Bissinho Zavatti segue defendendo a equipe e os títulos da Moto 2. Outra novidade dessa categoria fica por conta de Gabriel Soares, o “Tomate”, que deixou a equipe Honda Racing de Enduro e encarará a partir desta temporada as provas de rally. Os quatro terão à disposição a CRF 450RX. Pela classe Brasil, exclusiva para motos nacionais, Tiago Wernersbach irá para seu segundo ano na equipe oficial e terá a missão de repetir as vitórias e bons resultados de 2021. Dário Júlio segue como chefe da equipe.

Para 2022, a Honda seguirá com o apoio ao piloto Fred Kyrillos no Freestyle Motocross. Na motovelocidade, Pedro Sampaio, atual campeão do SuperBike Brasil, e Rafael Paschoalin, piloto de road racing, pilotarão a CBR 1000RR-R Fireblade SP nas etapas do SuperBike Brasil, na principal categoria, a SuperBike Pro.   

Já o trabalho da Honda de formação de base continuará com a Honda Jr Cup, categoria-escola para crianças e adolescentes entre 8 e 16 anos na motovelocidade, que completa 10 anos. Eles utilizarão a CG 160 Titan e contarão com Rafael Paschoalin como tutor. As atividades serão realizadas dentro da programação do SuperBike Brasil. No mesmo campeonato, a Honda terá pelo terceiro ano consecutivo a categoria monomarca Copa Pro Honda CBR 650R.

A Honda também manterá o patrocínio às principais competições e provas do motociclismo nacional, como o Rally dos Sertões, Campeonato Brasileiro de Motocross, Arena Cross, Campeonato Brasileiro de Enduro e SuperBike Brasil.

Por fim, a Honda Racing divulgou uma nova logomarca, que representa a integração do motociclismo e do automobilismo. O esporte sobre quatro rodas passou recentemente a ter as atividades adicionadas à Honda Racing Corporation (HRC). O objetivo é fortalecer a marca em competições.